Blog da UnP
Plural + S

Precisamos falar sobre preconceito!

Você já ouviu alguém falar que não existe preconceito no Brasil? Ou talvez que não existe racismo ou discriminação de nenhuma forma no Brasil? Que o Brasil e o mundo seriam melhores se não existissem esses preconceitos é óbvio. Mas, infelizmente, essa não é a realidade.

O bullying, que antes era visto apenas como “coisas de criança“, hoje é um problema grave nas escolas, e que muitas vezes reforça discursos racistas, homofóbicos e machistas. E essas demonstrações de preconceito aparentemente inofensivas são nada mais do que um reflexo da sociedade.

Assim, o ambiente acadêmico precisa discutir a discriminação e mais do que isso: as salas de aulas precisam e devem ser um espaço de imersão ao conhecimento. Portanto, precisamos falar sobre preconceito! 

Foi pensando nisso que o programa Plural + S (Grupo de Estudos sobre Gênero e Diversidade),  do curso de Psicologia está promovendo encontros para incentivar ações de orientação e conscientização. O primeiro encontro aconteceu no dia 28 de abril de 2020, com o tema “Vamos falar sobre preconceito?” para discutir depoimentos de estudantes sobre preconceito com conteúdos acadêmicos para guiar as discussões. 

O que é preconceito?

O preconceito é um juízo feito sobre um grupo social ou individuo, concebido antes mesmo de qualquer experiência ou conhecimento. Portanto, podemos entender que o preconceito é uma atitude hostil, direcionada para pessoas ou grupos que tenham características, ou qualidades que são consideradas como “diferentes” em função da crença de grupos dominantes.

Se pararmos para observar pela história, é possível notar que a parte da população brasileira foi privada de seus direitos de liberdade e igualdade, conforme está descrito na Declaração Universal dos Direitos Humanos.  

Portanto, o preconceito se manifesta por meio da intolerância, estabelecendo categorizações sociais por meio de estereótipos, e assim exerce a função excludente sobre uma parcela da população, que são reconhecidas a partir do termo “minorias”.

Podemos entender como minorias sociais, grupos de pessoas que são submetidos a qualquer tipo de violência ou hostilidade, dentro de uma sociedade por diversos aspectos. Dentre eles, os econômicos, raciais, de gênero, culturais, físicos e até por questões religiosas e orientação sexual.

Assim, o preconceito também está relacionado ao etnocentrismo, ou seja, a supervalorização da própria cultura em detrimento de outras, o que demonstra falta de compreensão de uma cultura ainda desconhecida.

Como combater o preconceito?

As minorias têm sido responsáveis por movimentos sociais plurais. Dessa forma, elas buscam criar discussões em favor do combate ao preconceito e da conquista e reivindicação de seus direitos. Além disso, mais espaço nos diversos setores sociais.

As reivindicações sociais também foram, e ainda são, fundamentais para a criação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, mas também por garantir seu cumprimento. Foram essas reivindicações, por exemplo, que deram origem às ações afirmativas de cotas para grupos minoritários. 

E na sociedade em que vivemos, é fundamental que “novos” sujeitos sociais se expressem em cenários políticos e sociais. Afinal, é por meio deles que os problemas sociais são expostos, mas não apenas isso. São eles que possibilitam a promoção de políticas públicas para o combate ao preconceito com medidas socioeducativas.

Também é essencial, para o combate do preconceito, medidas de políticas públicas governamentais voltadas para a valorização da diversidade racial. E, além disso, investimento na conscientização da população sobre a importância de cada grupo étnico.

Portanto, a educação tem papel fundamental no combate ao preconceito, já que estimula a compreensão do mundo e das diferenças. Além disso, é ela que possibilita aos estudantes o diálogo e a compreensão da igualdade de direitos e deveres perante uma sociedade.

Na Universidade Potiguar (UnP)

A Universidade Potiguar, como formadora de profissionais, tem o compromisso com a cidadania, firmado nos valores éticos, sociais, culturais e profissionais. É com base nesse compromisso que a UnP, está promovendo o encontro do Plural + S (Grupo de Estudos sobre Gênero e Diversidade), projeto do Curso de Psicologia, que busca promover discussões sobre respeito e apoio à diversidade.

Os encontros do Plural + S, tem como principal objetivo promover ações de orientação e conscientização sobre sexualidade, gênero, relações étnico-racionais, inclusão e principalmente diversidade.

Assim, a partir da identificação que há situações de preconceitos acontecendo dentro da instituição, houve uma percepção dos alunos do curso de psicologia que as pessoas reproduzem esses preconceitos que estão enraizados em nossa sociedade. Ou seja, as situações de preconceito é uma reprodução da sociedade, sem ser necessariamente uma ação intencional.

Os encontros do Plural + S

Portanto, os temas para os encontros do Plural + S, foram elaborados a partir dos estudos realizados no curso de psicologia, relacionados a elementos que influenciam a sociedade e constituição dos sujeitos.

A professora e coordenadora do projeto Plural + S, Vania Calado menciona:

As diferenças de pensamento sempre existiram e sempre existirão. Mas a partir do momento em que alguns alunos se sentem incomodados de forma a indicar que tais temas não podem ser discutidos em sala de aula, isso é um problema. No entanto, eu nunca deixei de abordar as temáticas em questão por causa disso, sempre busco proporcionar reflexões com embasamento teórico, técnico e ético e não tive problemas.

Vania, além de coordenadora, é responsável pela organização dos eventos que são estruturados de forma que os alunos de psicologia possam conduzir parcialmente as discussões e tenham uma participação ativa.

Assim, os alunos estão sendo preparados para os eventos, em reuniões de estudos e planejamento, em que eles realizam leituras e discussões de textos. Além de construir uma sequência didática para abordar os temas desde os mais gerais aos mais específicos.

Atualmente, a equipe é constituída por 11 estudantes de psicologia, sendo três alunos do 10º semestre, sete participantes do 7º semestre e um do 5º semestre. No dia 28 de abril, aconteceu o primeiro encontro do Plural + S, com o tema “Vamos falar sobre preconceito?”.  O eixo temático foi o preconceito e a busca de possibilidades de desconstrução e problematização de conceitos.

Os próximos encontros acontecerão de forma quinzenal e são abertos à comunidade. A ideia é que os participantes recebam os textos que foram estudados e discutidos pelo grupo por e-mail, a fim de apresentarem suas dúvidas e reflexões sobre os conteúdos.

Datas dos próximos eventos

Precisamos falar de preconceito

A proposta do grupo é abordar os temas com uma linguagem mais acessível, por meio da análise de situações da realidade dos universitários, além da prática profissional e recursos artísticos.

Além disso, o primeiro encontro do Plural + S, com o tema “Vamos falar sobre preconceito?”, foi apresentado de forma anônima depoimentos de estudantes sobre preconceito. 

As discussões sempre vão ter um embasamento teórico para guiar a discussão. A ideia é que todos que desejarem, participem e se sintam à vontade para expor suas opiniões e dúvidas sobre as questões levantadas. Todos têm seu espaço para falar, ninguém é esquecido!    

E aí, bora reservar um tempo do seu dia e vir agregar essa discussão? Acompanhe as datas dos eventos no site da UnP e compartilhe, chame seus amigos, família, chama todo mundo! Vamos juntos trazer um novo olhar para sociedade, vamos juntos construir um mundo melhor para gente viver! 

Paloma Silva

Comentar