Blog da UnP

Empreendedorismo e Medicina: o que têm a ver?

Todo dia um novo negócio surge, fazendo com que o mercado fique ainda mais competitivo. O empreendedorismo se reinventa a cada dia e leva empresas e pessoas atuantes no mercado a se atualizarem. E as empreendedoras são aquelas que mais buscam inovação.

A base do empreendedorismo se resume em criar um negócio, reinventar os que já existem, investir nas novidades e implementar iniciativas que visam promover algo que o seu concorrente ainda não proporciona.

Sendo assim, a arte de empreender não é exclusiva de uma área; algumas permitem mais inovações que outras, mas todas podem se beneficiar do espírito empreendedor. Na Medicina, por exemplo, pode parecer complicado pensar em empreendedorismo. No entanto, é mais fácil do que se imagina!

Os cursos da área da saúde possuem poucas ou nenhuma aula sobre finanças, empreendedorismo e administração. Mas esses conteúdos são fundamentais para a Medicina, já que pessoas desse perfil contam com muitas capacidades e características típicas de um empreendedor.

Vale a pena permitir que o profissional saia de sua zona de conforto, o que será muito motivador e o auxiliará no dia a dia nas clínicas, hospitais e consultórios.

Entenda um pouco mais sobre o perfil da Medicina e empreendedorismo

Realizar diagnósticos, liderar equipes, encontrar curas que antes não existiam. Estas são algumas das atividades que o profissional de Medicina desempenha em seu dia a dia. Além disso, durante o seu trabalho, ele deve tomar decisões e encontrar soluções rápidas para garantir o bem-estar do paciente.

Essa iniciativa e capacidade de tomar decisões são características de um empreendedor. Afinal, empreender não se resume a abrir um negócio.

É claro que não é necessário deixar a vida clínica para empreender. Afinal, para abrir o seu consultório é necessário entender sobre finanças e gerenciar uma equipe. O empreendedor da área de Medicina pode trabalhar em projetos sociais, desenvolver processos mais humanizados de atendimentos, atuar em pesquisas de novos medicamentos, dentre outras atividades.

Portanto, ao combinar o conhecimento da Medicina à lógica do empreendedorismo, é possível ter uma visão ampla sobre o sistema de saúde. Dessa forma, o profissional é capaz de pensar de uma forma mais abrangente e desenvolver ideias e atitudes que beneficiarão sistemas públicos e privados de saúde.

Diferencial e reconhecimento

É comum que um gestor de hospital não tenha formação em administração ou áreas relacionadas. Assim, estudar sobre esses assuntos será um diferencial para quem busca promoções e cargos mais elevados. É possível, por exemplo, que um médico busque especialização em gestão da saúde.

Confira 5 novas tendências tecnológicas da área de Medicina:

  • Impressão 3D: moldes de órgãos e próteses podem ser feitos, inclusive para uso cirúrgico;
  • Telemedicina e aplicativos: há aplicativos e rede para atendimento online, marcação de consulta, etc.;
  • Dispositivos: alguns relógios, pulseiras, colares, foram inventados para medir a pressão ou temperatura do corpo, 24 horas por dia. Ou até mesmo a fim de medir atividades neurais e qualidade do sono;
  • Produção on-demand: focada em redução de custos e otimização do uso, produção de insumos feitos sob medida;
  • Realidade virtual: muito comum em laboratórios de faculdade, são ferramentas que apoiam práticas críticas.

Viu como as oportunidades estão surgindo e cabe ao profissional se manter atualizado e investir?

Desafios do médico empreendedor

No mundo dos negócios, a incerteza faz parte. Mas assim como nos desafios médicos, a decisão tem que ser tomada de acordo com o cenário e as informações disponíveis.

Assim, estudar o empreendedorismo na Medicina é uma maneira de adquirir conhecimento e ter contato com cases de sucesso. Além disso, é possível descobrir as melhores soluções para as necessidades, anseios e expectativas como profissional.

Há um espaço gigantesco para oportunidades, cabe o profissional pesquisar e ter ciência disso. A revolução no campo da saúde não para, e quem apostar nessa direção poderá sair na frente e ter não só a Medicina tradicional ao seu lado, mas também ser pioneiro em novidades da área.

Adquirir habilidades de gestão e financeira, conhecer o conceito de fluxo de caixa e trâmites de impostos e taxas, não é tarefa fácil. No entanto, ao estudá-las, você conseguirá ter uma visão muito mais ampla do mercado. Será possível abrir seu próprio negócio ou até mesmo aproveitar uma oportunidade de avanço na carreira.

Você tem algum exemplo ou case de sucesso sobre inovação na Medicina? Conta para a gente.

Heloísa Campos

Comentar